15168709_736294846521260_7618860513662225241_o
15123428_734486280035450_5416061088149763877_o
15168709_736294846521260_7618860513662225241_o
15123428_734486280035450_5416061088149763877_o

Palácios do Rio II

Visando reafirmar a parceria entre o Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social, vinculado ao Instituto Alberto Coimbra Pós-Graduação e Pesquisas em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LTDS/COPPE/UFRJ), o curso de Turismo da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e o Exército Brasileiro por meio de sua diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHCEx). O projeto foi renomeado em sua exposição pública como Projeto JANELAS ABERTAS PARA A REPÚBLICA para melhor se ajustar às necessidades do projeto em sua relação com a Casa Histórica de Deodoro (CHD) e o exército, exprimindo, por meio de uma metáfora, a missão de criação de novos vínculos entre a casa e o território. Em sua proposta, procurou atender a demanda de quatro segmentos: o bem patrimonial (CHD), através da valorização do imóvel e do patrimônio urbano; a população do Rio de Janeiro, por meio da divulgação e ampliação do acesso ao acervo cultural, possibilitando a ressignificação e a promoção do sentimento de pertencimento; a cidade do Rio de Janeiro, uma vez que visou criar um espaço atraente para a visitação turística e atividades culturais; e, por fim, para os profissionais do campo do turismo em formação e recém-formados, uma vez que criou espaço de experimentação laboral na área.

Palácios do Rio II

Visando reafirmar a parceria entre o Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social, vinculado ao Instituto Alberto Coimbra Pós-Graduação e Pesquisas em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LTDS/COPPE/UFRJ), o curso de Turismo da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e o Exército Brasileiro por meio de sua diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHCEx). O projeto foi renomeado em sua exposição pública como Projeto JANELAS ABERTAS PARA A REPÚBLICA para melhor se ajustar às necessidades do projeto em sua relação com a CHD e o exército, exprimindo, por meio de uma metáfora, a missão de criação de novos vínculos entre a casa e o território. Em sua proposta, procurou atender a demanda de quatro segmentos: o bem patrimonial (CHD), através da valorização do imóvel e do patrimônio urbano; a população do Rio de Janeiro, por meio da divulgação e ampliação do acesso ao acervo cultural, possibilitando a ressignificação e a promoção do sentimento de pertencimento; a cidade do Rio de Janeiro, uma vez que visou criar um espaço atraente para a visitação turística e atividades culturais; e, por fim, para os profissionais do campo do turismo em formação e recém-formados, uma vez que criou espaço de experimentação laboral na área.

 
NESSE PROJETO
NESSE PROJETO